Voltar ao site

O que sustenta a transformação?

Por Thianne Martins

“O caminho da transformação cultural é feito com a mente aberta e disposição de aprender um com o outro, com nossos erros e com a comunidade da vida.” Daniel Wahl

Transformações são inerentes à vida. Parte da natureza. Porém, quando me vejo pensando em evolução a sensação é de que o ritmo de mudança acontece de forma muito lenta, ao longo de séculos, milênios, eras geológicas.

Como humanos, construímos para nós formas de viver muito diferentes do ritmo de outras formas de vida e uma aceleração desconhecida até mesmo de uma ou duas gerações anteriores à nossa.

De qualquer maneira, rápido ou devagar, vivemos um momento de mundo em que sabemos da urgente necessidade de mudanças para garantirmos até mesmo a perenidade da nossa própria espécie e, com esperança, resgatar o equilíbrio ecológico de nosso planetinha.

Mas sabemos que mudar não é fácil. Se você já teve dificuldade de mudar seus próprios hábitos ou coisas ainda menores, em nosso cenário atual, o que precisamos aprender e mudar é de uma dimensão coletiva, que vai da minha comunidade até o resto do mundo.

Pensar nisso pode trazer uma sensação de desânimo ou impossibilidade, mas sabemos que as coisas acontecem. Os fenômenos sociais, tecnológicos e ecológicos que presenciamos hoje são o acúmulo de aprendizados, mudança e evolução ao longo de muito tempo.

Mas se, como indivíduos, muitos de nós não conseguimos sequer ter disciplina para ir 3 vezes por semana à academia, como tornar possíveis transformações coletivas, que precisam ser sustentadas no longo prazo e que tornam totalmente diferentes nossa forma de nos relacionarmos com o mundo? Sabemos que não é mais possível consumir tanto, sabemos que precisamos deixar de usar plásticos descartáveis, que talvez devêssemos comer menos carne e que nossa economia deixe de produzir lixo. Sabemos que as empresas e políticas precisam mudar genuinamente, pelo bem da vida.

A principal inspiração para esse texto vem de Daniel Wahl, autor do livro Design de Culturas Regenerativas.

O que sustenta a transformação?

Uma pergunta poderosa, que não tem respostas fáceis mas, garanto, abre um universo de possibilidades e esperança.

Você quer (de verdade) se transformar e ver transformações benéficas e positivas para nosso planeta e todos os seres?

Aí vão alguns tópicos que podem nos ajudar, ou ao menos trazer alguma luz nesse caminho de transformação genuíno e tão necessário.

Observar as causas subjacentes aos sintomas

Em uma sociedade que funciona na velocidade dos posts do Instagram e que não vai mais fundo do que 5 dicas para resolver qualquer coisa, vivemos tentando nos medicar para acabar com os sintomas dos problemas, aquilo que é aparente e óbvio.

Esse foco nos sintomas é, inclusive, causa do agravamento de diversos problemas, de uso excessivo de medicamentos ao asfalto mal feito nas ruas e que precisa de ter os buracos tampados todo ano, de questões familiares a questões ecológicas globais.

Quando olhamos somente a parte do iceberg que está acima da água, estamos deixando de olhar tudo que está embaixo e que, em geral, representa a maior porção do iceberg. A simples questão das ruas mal asfaltadas, por exemplo, quando mergulhamos abaixo da linha d’água, veremos que o iceberg envolve decisões baseadas em interesses como eleições, ganhos ilícitos, superfaturamento, contratação de amigos e parentes e muito mais… toda uma cultura de corrupção pode estar por baixo da simples decisão pelo asfalto ruim (apesar de mais caro) e que vai gerar retrabalho (e mais ganho ilícito) ano após ano. Sem falar em todo o prejuízo social e ambiental da urbanização mal planejada que pode, em certos locais, levar até mesmo ao aumento do índice de criminalidade, entre outros problemas.

Neste exemplo, admitir e olhar com verdade para a realidade da cultura de corrupção e seus efeitos sistêmicos é o primeiro passo para que sejam criados mecanismos para que essa cultura mude.

Nas transformações que você deseja para sua vida e para o seu mundo, o que você está deixando de olhar com verdade? Seja brutalmente honesto.

Tomar consciência dos padrões que sustentamos

Somos incrivelmente capazes de sonhar e planejar o futuro ideal, mas se simplesmente olharmos para o nosso presente e para os padrões que sustentamos, de rotinas a pensamentos recorrentes, de como nos cuidamos à forma como consumimos, fica fácil fácil prever nosso futuro.

Quando olhamos