Voltar ao site

Por Que Precisamos de Facilitadores?

Facilitador deve ser alguém (ou algo) que torna as coisas mais fáceis, não é?
Pelo menos é o que o dicionário diz.

 

Por Thianne Martins

· Facilitação

A palavra facilitador é, por si só, bem interessante. É uma daquelas palavras que começamos a escutar nos últimos anos e que ainda aparece como erro de grafia no Word.
 

Quando olhamos para essa palavrinha, parece bem fácil entender seu significado. Facilitador deve ser alguém (ou algo) que torna as coisas mais fáceis, não é? Pelo menos é o que o dicionário diz.

No entanto, o papel do facilitador vai muito além de tornar coisas fáceis. Essa, que é uma das profissões do futuro (que já virou presente), além de demandar profundo preparo e sensibilidade, é uma das habilidades que, para nós aqui na @cuidadoria, é essencial para esse mundo que está nascendo e que vem pedindo muito mais colaboração e trabalho coletivo do que antes.

Nesse cenário, uma das missões do facilitador é, talvez, um dos nossos maiores desafios como seres gregários, sociais — dar o suporte para que a colaboração se organize, auxiliando os grupos a planejarem e alcançarem seus objetivos comuns.


Nesse papel, o facilitador é ao mesmo tempo alguém que permanece neutro e alguém que lidera… mas a liderança do facilitador não é aquela que dá ordens ou delega tarefas, é a liderança que anfitria e que parte de um espaço de confiança na capacidade do grupo de criar as soluções e caminhos para o objetivo ao qual se propõe.


Porém, facilitar tem ainda muito mais. O facilitador, como esse líder anfitrião é alguém que dá contornos, que cuida sem interferir no que nasce do grupo, ao contrário, o facilitador está atento e sensível a tudo que emerge, de emoções a ideias, para tornar visível a todos aquilo que pode ser significativo para o caminho que o grupo percorre.


Facilitar pode envolver mediar e abrir o entendimento em divergências e eventuais conflitos, ou naqueles momentos em que as pessoas dizem a mesma coisa com palavras diferentes… alinhar a linguagem pode ser crucial.


Aquele que facilita também é alguém que colhe, que consegue através de percepções e do uso da ferramenta ou método mais adequado, fazer com que as ideias e resultados do grupo se organizem, sejam priorizadas, vistas, celebradas.


O facilitador cuida do tempo ao mesmo tempo que acolhe diferentes pontos de vista, que podem ser usados para criar algo totalmente novo. Aliás, uma das habilidades ou “virtudes” que o facilitador precisa desenvolver é esse olhar incansável para possibilidades, para o que pode ser, enquanto ajuda o grupo a escolher bem o primeiro passo em direção ao futuro que deseja.


O papel desse profissional, em meio a uma sociedade que precisa de transformações radicais, de um planeta que precisa da união de forças, mentes e corações para se regenerar, de empresas que precisam se reinventar, é de imensa importância.


Um facilitador pode oferecer suporte, de um grupo de executivos a um grupo terapêutico, de comunidades que sonham com seu desenvolvimento a um coletivo de artistas. E, para todas essas viradas de chave que o facilitador precisa fazer para se aprofundar e compreender as demandas do grupo, há um treino constante de escuta profunda e empática. Afinal, o facilitador precisa escutar não só o que é dito, mas o que é sentido, compreender profundamente valores das pessoas envolvidas, sua linguagem e expectativas.


Pra gente, aqui na @cuidadoria, facilitação é uma arte e contribuição valiosa para o mundo! Vai além de ser uma profissão… Parte de um sentimento genuíno de gostar de gente e de um desejo de ver o desenvolvimento coletivo se processando para tornar realidade!


Em nosso cenário atual, processos facilitados que aconteceriam presencialmente passam a ter a necessidade de acontecer no ambiente digital. Em nosso caminho na facilitação online, vemos que o ambiente pode ser virtual mas as relações continuam sendo reais e que a tecnologia pode nos ajudar muito e inclusive tornar mais produtivos alguns processos facilitados.


Para o facilitador, lidar com mais um elemento (a tecnologia) no momento em que está com o grupo pode ser bastante desafiador. Porém, mais um campo de desenvolvimento se abre e é possível, sim, utilizar-se do apoio tecnológico não só para fins práticos mas também para as sutilezas da facilitação como perceber o grupo e suas dinâmicas emocionais e relacionais, criar ambientes de confiança e articular planos e formatos de facilitação para os mais diversos fins, de processos de inovação, passando por planos de negócio e projetos, até dinâmicas de autoconhecimento e arte.


Em um mundo altamente conectado, com muitas e rápidas interações, onde a complexidade já é lugar comum, desenvolver habilidades de facilitação pode ajudar profissionais de praticamente todas as áreas. Alguns exemplos:


Nas organizações:

  • Para criar o campo para a cocriação, dando suporte a processos em que a inteligência coletiva pode ser direcionada a resolução de problemas os mais diversos, para a criação de novos produtos, para a inovação.
  • Para reconhecer as dinâmicas relacionais e comportamentais de forma a abrir espaço para conversas que ajudem a trazer a real necessidade em termos de desenvolvimento humano, antes das tomadas de decisão relativas a treinamentos, por exemplo;
  • Para lideranças que crie pontes entre os diferentes talentos e perfis do time, oferecendo o espaço para lideranças situacionais em projetos e iniciativas, dando assim a oportunidade das pessoas realmente contribuírem ;

Na educação:

  • Para que professores / educadores possam oferecer processos educativos mais ricos e dinâmicos, com experiências significativas que estimulam diferentes inteligências humanas (corporal, raciona, emocional, intuitiva) e, especialmente, a inteligência que emerge das relações e da vivência que cada indivíduo (criança, adolescente ou adulto) traz para a sala de aula.

Muitas outras áreas, como as terapias em grupo, iniciativas de desenvolvimento de comunidades, gestão pública, e uma infinidade de outras podem se beneficiar de ter pessoas com habilidades para anfitriar e colher resultados que importam!

A cuidadoria atua na formação de líderes evolutivos e facilitadores e prepara pessoas para as habilidades mais importantes do mundo atual e do futuro emergente das organizações. Oferecemos cursos de Facilitação Online, Liderança Facilitadora, além de treinamentos e consultoria para formar os líderes e organizações que criam o futuro.

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK