Voltar ao site

Por Que Precisamos de Facilitadores?

Facilitador deve ser alguém (ou algo) que torna as coisas mais fáceis, não é?
Pelo menos é o que o dicionário diz.

 

Por Thianne Martins

· Facilitação

A palavra facilitador é, por si só, bem interessante. É uma daquelas palavras que começamos a escutar nos últimos anos e que ainda aparece como erro de grafia no Word.
 

Quando olhamos para essa palavrinha, parece bem fácil entender seu significado. Facilitador deve ser alguém (ou algo) que torna as coisas mais fáceis, não é? Pelo menos é o que o dicionário diz.

No entanto, o papel do facilitador vai muito além de tornar coisas fáceis. Essa, que é uma das profissões do futuro (que já virou presente), além de demandar profundo preparo e sensibilidade, é uma das habilidades que, para nós aqui na @cuidadoria, é essencial para esse mundo que está nascendo e que vem pedindo muito mais colaboração e trabalho coletivo do que antes.

Nesse cenário, uma das missões do facilitador é, talvez, um dos nossos maiores desafios como seres gregários, sociais — dar o suporte para que a colaboração se organize, auxiliando os grupos a planejarem e alcançarem seus objetivos comuns.


Nesse papel, o facilitador é ao mesmo tempo alguém que permanece neutro e alguém que lidera… mas a liderança do facilitador não é aquela que dá ordens ou delega tarefas, é a liderança que anfitria e que parte de um espaço de confiança na capacidade do grupo de criar as soluções e caminhos para o objetivo ao qual se propõe.


Porém, facilitar tem ainda muito mais. O facilitador, como esse líder anfitrião é alguém que dá contornos, que cuida sem interferir no que nasce do grupo, ao contrário, o facilitador está atento e sensível a tudo que emerge, de emoções a ideias, para tornar visível a todos aquilo que pode ser significativo para o caminho que o grupo percorre.


Facilitar pode envolver mediar e abrir o entendimento em divergências e eventuais conflitos, ou naqueles momentos em que as pessoas dizem a mesma coisa com palavras diferente